Situa-se entre a Rua de St.ª Catarina e a Rua da Alegria, estando nesta, no n.º 351, a sua entrada principal. Ocupa um edifício antigo de quatro pisos e longas escadarias, em bom estado de conservação, onde outrora funcionaram dois outros estabelecimentos de ensino privado: o Colégio de Nossa Senhora da Estrela (ou Colégio da Estrela) e o Colégio João de Deus. Esta escola possui espaços exteriores para recreio bastante diminutos para a sua população escolar. De realçar a existência de uma biblioteca / centro de recursos bem equipada e bastante frequentada, fazendo parte do grupo fundador da RBEP, cujo catálogo pode ser consultado na página do Agrupamento.

Augusto Gil

(Lordelo do Ouro, 31 de julho de 1873 – Guarda, 26 de fevereiro de 1929)

Augusto César Ferreira Gil (1873-1929) nasceu em Lordelo do Ouro, Porto, e faleceu em Lisboa. Estudou inicialmente na Guarda, a sagrada Beira, de cuja paisagem encontramos reflexos em muitos dos seus poemas e de onde os pais eram oriundos, e formou-se em Direito na Universidade de Coimbra.

Começou a exercer advocacia em Lisboa, tornando-se mais tarde director-geral das Belas-Artes. Cultivou uma poesia de cunho sentimental, em que se notam influências do Parnasianismo e do Simbolismo. Influenciado por Guerra Junqueiro, João de Deus e pelo lirismo de António Nobre, a sua poesia insere-se numa perspectiva neo-romântica nacionalista.

Obras:

  • Obra poética: Musa Cérula (1894), Versos (1898), Luar de Janeiro (1909), O Canto da Cigarra (1910), Sombra de Fumo (1915), O Craveiro da Janela (1920), Avena Rústica (1927) e Rosas desta Manhã (1930)
  • Crónicas: Gente de Palmo e Meio (1913).